Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A CASCA

Apoio à gestão de PME's (Contabilidade, Fiscalidade, Gestão de RH, Gestão de stocks, Projetos de Investimentos, Formação e Investigação) Escritório Virtual

Consulta Pública sobre Investimento Sustentável

Investimento sustentável e a longo prazo
A Comissão Europeia lançou  uma consulta pública sobre investimento sustentável e a longo prazo para avaliar a forma como os investidores integram a longo prazo, fatores ambientais, sociais e de governação, em decisões de investimento e os obstáculos que os impedem de o fazer. O investimento a longo prazo e sustentável é essencial para a competitividade e o crescimento e pode contribuir para tornar os nossos sistemas de pensões mais sustentáveis. Pode igualmente contribuir para a concretização dos objetivos das políticas da UE relacionadas com a transição para uma economia hipocarbónica e resiliente às alterações climáticas e para o respeito dos direitos fundamentais. A consulta está disponível até 25 de março de 2016 neste sítio Web. Participe!

transferir.png

 

Financiamento para empresas - Fast Track to Innovation - Sessão apresentação

O GPPQ, em parceria com a EEN-Portugal através da ANI e do IAPMEI, irá organizar no próxgppq_01.jpgimo dia 27 de Janeiro no Auditório do IAPMEI em Lisboa, uma sessão de informação sobre o programa Fast Track to Innovation (FTI). Este instrumento, dirigido especificamente a empresas, pretende identificar e apoiar grandes oportunidades de negócio à escala Europeia, disponibilizando 100 milhões de euros em financiamento comunitário ao longo de 2016.

Esta sessão contará com a presença de Pilar Cervero da Agência Executiva para as PME (EASME), responsável pela gestão do Fast Track to Innovation, e ainda com a presença de avaliadores e Pontos de Contacto Nacionais do Horizonte 2020, que irão dar o seu  testemunho sobre o que faz uma proposta ser bem sucedida

O próximo cut-off do Fast Track to Innovation é já dia 15 de Março de 2016. Aproveite esta oportunidade para ficar a conhecer melhor este programa e para agendar uma conversa com a Pilar Cervero ou com os Pontos de Contacto Nacionais.

A participação é gratuita mas requer inscrição prévia: https://goo.gl/OqI0PI

 

 

 

Financiamento para projetos da Economia Circular

A Comissão adotou um novo e ambicioso pacote da economia circular para estimular a

transição da Eutransferir.pngropa para uma economia circular, que reforçará a competitividade a nível mundial, promoverá o crescimento económico sustentável e criará mais emprego.

O conceito é simples e com vantagens para todas as partes interessadas: reduzir, reutilizar, recuperar e reciclar, o que traz benefícios para o ambiente, vantagens financeiras para as empresas, poupança para os consumidores e criação de emprego.

As medidas propostas contribuirão para «fechar o ciclo» de vida dos produtos através de mais reciclagem e reutilização e trazem vantagens tanto para o ambiente como para a economia. Os planos aproveitarão ao máximo o valor e a utilização de todas as matérias‑primas, produtos e resíduos, promovendo poupanças de energia e diminuindo as emissões de gases com efeito de estufa. As propostas abrangem todo o ciclo de vida dos produtos: da produção ao consumo, à gestão dos resíduos e ao mercado das matérias-primas secundárias. Esta transição será financeiramente apoiada pelos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento, por 650 milhões de euros do Horizonte 2020 (programa da UE de financiamento para investigação e inovação), por 5,5 mil milhões de euros de fundos estruturais para a gestão dos resíduos e por investimentos na economia circular a nível nacional.

As principais medidas a aplicar são:

  • Financiamento de mais de 650 milhões de euros no âmbito do programa Horizonte 2020 e de 5,5 mil milhões de euros no âmbito dos fundos estruturais;
  • Ações destinadas a reduzir os resíduos alimentares, incluindo uma metodologia comum de medição, uma melhor indicação da data e instrumentos para cumprir o objetivo mundial de desenvolvimento sustentável de reduzir para metade os resíduos alimentares até 2030;
  • Elaboração de normas de qualidade aplicáveis às matérias-primas secundárias para aumentar a confiança dos operadores no mercado único;
  • Medidas do plano de trabalho em matéria de conceção ecológica para 2015‑2017 que promovem a reparabilidade, a durabilidade e a reciclabilidade dos produtos, para além da eficiência energética;
  • Revisão do regulamento dos adubos, a fim de facilitar o reconhecimento, no mercado único, dos adubos orgânicos e baseados em resíduos e reforçar o papel dos bionutrientes;
  • Estratégia para o plástico na economia circular, abrangendo questões de reciclabilidade e biodegradabilidade, a presença de substâncias perigosas contidas nos plásticos e o objetivo de desenvolvimento sustentável de reduzir substancialmente o lixo marinho;
  • Uma série de ações sobre a reutilização da água, incluindo uma proposta legislativa sobre requisitos mínimos para a reutilização das águas residuais.

Para saber mais consulte:
Informação disponível no sítio da DG Enviroment
Pacote da economia circular: Perguntas e respostas
e 2 videos
Circular Economy… it’s the way forward
Circular economy: saving resources, creating jobs

Está interessado em fazer negócios com o Japão?

O EU-Japan Centre for Industrial Cooperation  pode ajudar a sua empresa.  O EU-Japan Centre for Industrial Cooperation   é uma organização sem fins lucrativos que resulta de uma joint-venture entre a União Europeia e o Governo Japonês.

A missão do Centro UE-Japão para a Cooperação Industrial assenta em duas missivas:
• Promover todas as formas de cooperação industrial, comercial e de investimento entre o Japão e a União Europeia;
• 2eforçar as capacidades tecnológicas e da competitividade dos sistemas industriais europeus e japoneses.

Uma das suas principais actividades é a organização de programas de formação para empresários que já têm ou estão a encetar ligações com empresas japonesas, ou para aqueles que desejam aprender sobre as práticas empresariais e as técnicas de produção japonesas.

Saiba mais sobre as actividades do EU-Japan Centre for Industrial Cooperation  visitando o seu site http://www.eu-japan.eu/ ou vendo este pequeno filme

Mantenha-se a par das actividades do EU-Japan Centre for Industrial Cooperation subscrevendo a sua newsletter trimestral aqui.

transferir.png

 

 

Guia essencial para novos empreendedores

Guia essencial para novos empreendedores

O Guia essencial para novos empreendedores é uma publicação que apresenta conteúdos e ferramentas modernas para guiar no processo de empreender e inovar.

O guia é composto por quatro volumes.

Volume 1 – Descoberta é um mapa para ajudar empreendedores a encontrarem seu propósito e conectar seus talentos a novas oportunidades.

Volume 2 – Idealização ensina como aplicar a criatividade para gerar e prototipar ideias.

Volume 3 – Modelagem e Proposta de Valor apresenta ferramentas para projetar um modelo de negócio que constrói, entrega e captura valor dos clientes.

Volume 4 – Implantação traz o passo a passo de como construir um projeto ou negócio a partir de uma ideia desenvolvida no papel.

Subscreva a nossa newsletter e receba durante o próximo mês os quatro volumes

NEWSLETTER em http://acasca.pt/noticias/

FACTURAÇÃO CERTIFICADA E INVENTÁRIO PERMANENTE EM 2016

Decreto de Lei nº98/2015, de 2 de junho de 2015 alterou os requisitos que determinam quais as empresas abrangidas pelo regime de Inventário Permanente para 2016.

As alterações entram em vigor a partir de 1 de janeiro de 2016.

A quem se aplica estas alterações?

A empresas que ultrapassem dois dos três seguintes critérios:

Mais de 350.000€ de balanço

Mais de 700.000€ de vendas líquidas

Mais de 10 empregados

Estarão dispensadas deste novo sistema as empresas classificadas como Microentidades e empresas com atividades de:

Agricultura,

Produção Animal,

Apicultura e Caça Silvicultura e Exploração Florestal Aquicultura e Indústria Piscatória Pontos de venda a Retalho (que no seu conjunto não apresentem, num exercício, vendas superiores a 300.000€ nem a 10% das vendas globais)

Empresas cuja actividade predominante seja a Prestação de Serviços que num exercício apresentem um custo de mercadorias vendidas e das matérias consumidas que não exceda 300.000,00€ nem 20% dos custos operacionais.

76% das empresas portuguesas prevêm contratar em 2016

As principais áreas de recrutamento serão as de Produção, Vendas e Engenharia, revela estudo Workforce+Pay 2016, lançado pela Korn Ferry. Esta investigação da consultora global em Gestão Organizacional e de Pessoas, revela as práticas retributivas realizadas em 2015, as estimativas de contratações e antecipações de aumentos salariais nas empresas privadas para o próximo ano.

Em Portugal, o estudo incidiu sobre mais de 87 mil colaboradores, em 234 organizações de 11 sectores de actividade. «Com o crescimento das exportações e um aumento da procura, as empresas procuram reforçar os seus quadros com colaboradores que assegurem as áreas produtivas», explica Miguel Albuquerque, head of Productized Services do Hay Group.

No momento de irem às universidades recrutar novos talentos para os quadros, as organizações nacionais preparam-se cada vez melhor para o acolhimento dos futuros líderes. 69% das mesmas afirmam ter um programa de Trainees formal para os recém-graduados.
Em termos salariais, os colaboradores portugueses prevêem, para 2016, aumentos a rondar os 1,33%, valor ligeiramente abaixo do apontado no ano transacto, de 1,5%. Durante 2015, 78% das empresas do País efectuaram ajustes salariais na ordem dos 1,78%, e 73% planeiam fazê-lo no próximo ano. Já os pacotes retributivos continuam a privilegiar uma componente variável, sendo que 94% das organizações analisadas atribuem retribuição variável aos seus colaboradores.
Outros resultados do estudo Workforce+Pay 2016:

76,3% das empresas em todo o mundo revelaram querer contratar em 2016 novos colaboradores para os seus quadros. 38,6% das organizações prevêem recrutar entre 4 a 9 profissionais, sendo que 28,1% apontam para mais 25 colaboradores – neste último caso, nos sectores Serviços e Distribuição e Retalho e, em particular, para as áreas de Vendas.

De acordo com a base de dados salariais do Hay Group, uma empresa do Grupo Korn Ferry, a nível global, os profissionais esperam um aumento de 2,5% nos salários – o maior aumento desde há três anos.

Apesar da retracção económica, os colaboradores na Ásia terão o maior aumento salarial no mundo, com a China em destaque.

Fonte:Human Resources - HR Portugal

2015-07-31-josemagalhaes.jpg

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Stock-Off | Promoções

Links

ACASCA Enterprise

ACASCA Academia

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D