Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A CASCA

Apoio à gestão de PME's (Contabilidade, Fiscalidade, Gestão de RH, Gestão de stocks, Projetos de Investimentos, Formação e Investigação) Escritório Virtual

Benefícios Fiscais com PPR

Já conhece os benefícios fiscais com PPR no IRS de 2015 a entregar em 2016?

Dedução de PPR

Um Plano Poupança Reforma pode ser deduzido no IRS com determinados limites. A dedução permitida a PPR é de 20% das contribuições, sujeita aos limites indicados de seguida, e só se aplica a residentes em território português, ainda não reformados.

  • PPR – Inferior a 35 anos: 20% do valor aplicado com o limite de 400,00€ (para casados e não casados *).
  • PPR – De 35 a 50 anos: 20% do valor aplicado com o limite de 350,00€ (para casados e não casados *).
  • PPR – Superior a 50 anos: 20% do valor aplicado com o limite de 300,00€ (para casados e não casados *).

* - no caso dos casados, se cada membro do casal for subscritor de um produto e tiver investido o limite individual, os valores sobem para 800, 700 e 600 euros respetivamente.

Para ter acesso à dedução máxima é necessário investir 2000, 1750 e 1500 euros respetivamente. 

O resgaste antecipado do PPR tem a penalização fiscal.

Escalões e limites

As aplicações com benefícios, como os PPR, estão sujeitas a limites que vão crescendo até aos 100 euros, conforme o escalão de rendimentos.

A exceção à regra são os contribuintes com rendimentos enquadrados no primeiro escalão (até 7.000 euros), em que se podem deduzir 20% dos valores investidos num PPR até um teto de 300 a 400 euros (de acordo com a idade do subscritor).

Já os contribuintes com rendimentos anuais superiores a 80 mil euros não têm acesso aos benefícios fiscais ligados às entregas nos PPR.

A soma dos benefícios fiscais dedutíveis à coleta não pode então exceder os seguintes limites:

Escalão de Rendimentos Limite (euros)
Até 7.000 euros sem limite
De mais de 7.000 até 20.000 100
De mais de 20.000 até 40.000 80
De mais de 40.000 até 80.000 60
Superior a 80.000 0
António Casca - A CASCA Accounting & Consulting, Lda | Tudo Pago

COMO USAR AS REDES SOCIAIS PARA CONQUISTAR O CLIENTE

As redes sociais são mais um canal de comredes_sociais_ilustracao_novembro_2015.jpgunicação com os clientes. E para isso há que seguir os seguintes passos básicos:

  • Supervisionar os canais nas redes sociais;
  • Unificar o serviço em todos os canais;
  • Unificar o historial do cliente;
  • Unificar conhecimentos e aplicações empresariais;
  • Prestar um serviço omnicanal proactivo;
  • Medir o desempenho da empresa; 
  • Incluir as redes sociais nos processos empresariais.

Uma comunicação deve ser direcionada de acordo com o perfil do cliente. Nos últimos anos verificou-se uma comunicação em massa aos clientes, atualmente as empresas devem preocupar-se com a comunicação de interesse para o cliente.

O potencial da comunicação social para incrementar o crescimento da sua empresa.

 

 

COMO ELABORAR A CONTAGEM DAS MERCADORIAS EM ARMAZÉM

Os inventários correctos são necessários para uma gestão da empresa, caso contrário pode obter resultados com erros.

Os tipos de produtos sujeitos a inventário:

No comércio existem somente as mercadorias, nas unidades industriais devem existir inventários das matérias-primas, produtos acabados e sub-produtos bem como os produtos designados por refugos (não estão em condições para venda).

 

Obrigação fiscal

Durante o mês de janeiro as empresas com volumes de negócios superiores a 100000,00 euros têm que comunicar os inventários à Administração Fiscal.

No ano de 2016 somente as micro empresas a que não estão sujeitas a inventário permanente, todas as restantes empresas têm que desenvolver procedimentos e sistemas para o inventário permanente.

 

Como realizar o inventário

Para realizar a contagem das mercadorias em armazém de uma forma efetiva, sem erros e exata, é importante que sigam 4 etapas essenciais:

  1. Dividir o espaço no qual será realizada a contagem da mercadoriaimages.jpg

O espaço da loja, ou do armazém onde estão localizados os produtos que farão parte da contagem devem ser primeiramente divididos, ou seja, identificar cada uma das prateleiras, estantes ou vitrines.

  1. Capturar os códigos de barra com o aparelho de recolha de dados

Considerando que todos os produtos contêm as etiquetas de código de barras, todos eles são registados pelo aparelho de recolha dos dados. Este aparelho consegue capturar cada um dos códigos de barras de cada um dos produtos e assim regista as quantidades dos artigos.

Os produtos que não contêm as etiquetas, devem ser separados e, de acordo com o procedimento da empresa, recebem a devida codificação e posteriormente são registados no inventário.

  1. Conferência manual da contagem dos produtos

Após a contagem electronica, é importante que outra pessoa verifique manualmente  se os dados recolhidos estão corretos.

  1. Auditoria

A conferência das contagens deve ser realizada para se ter certeza das quantidades e a precisão das informações recolhidas.

 

Para o planeamento e organização para o sistema de inventário permanente pode recorrer ao outsourcing a custos reduzidos. Estamos no mercado para resolver os seus problemas. Conte com a nossa equipa.

 

O sucesso dos nossos clientes é o nosso sucesso.

 

 

 

#POST MAIS LIDO" Pagamentos da Empresa aos seus Sócios

Muitas das empresas apresentam saldos devedores das contas de sócios. 
transferir.jpgQuer isto dizer que existiram levantamentos da conta de sócio sem que a devida justificação fosse classificada contabilisticamente. Estes saldos colocam em causa a fiscalidade da empresa, dado que qualquer levantamento de sócios sem a devida justificação poderá facilmente ser associada a um levantamento de lucros sem o correspondente pagamento de retenção na fonte de 28% de IRS. 

Os lucros distribuídos e os adiantamentos por conta de sócios constituem rendimentos de capitais (alínea h) do n.º 2 do artigo 5.º do Código do IRS (CIRS), estando sujeitos a uma taxa liberatória de 28%, com opção de englobamento. 

Assim, os lucros colocados à disposição do sócio encontram-se sujeitos a retenção na fonte à taxa liberatória de 28% sobre o valor bruto distribuído. Caso se opte pelo englobamento, o rendimento será inscrito em 50% e a retenção na fonte na totalidade no Anexo E da modelo 3 do IRS. 

Por isso já, fale com o seu contabilista para garantir que os saldos do seu balancete estão devidamente corretos no âmbito das normas fiscais.
 
#onde e quem#
http://acasca.blogs.sapo.pt/
http://www.acasca.pt/
 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Stock-Off | Promoções

Links

ACASCA Enterprise

ACASCA Academia

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D