Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A CASCA

Apoio à gestão de PME's (Contabilidade, Fiscalidade, Gestão de RH, Gestão de stocks, Projetos de Investimentos, Formação e Investigação) Escritório Virtual

ALERTA (30/Junho) - Pedido de Revisão do Escalão da SS

Os trabalhadores independentes contribuem para a Segurança Social com base no apuramento do seu rendimento relevante, conforme exemplificamos na Calculadora Segurança Social trabalhadores independentes.

O apuramento anual da base de contribuição é feito em Outubro de cada ano. Contudo, em Junho e Fevereiro é possível solicitar a alteração do escalão de contribuição, para o correspondente ao rendimento relevante ou para um dos dois imediatamente inferiores ou superiores, dentro de algumas regras.

Assim, se é trabalhador independente e pretender alterar a sua base de contribuição, tem até 30 de Junho.

Solicitar a alteração

A alteração pode ser efectuada através da Segurança Social Directa, seguindo as instruções disponíveis no guia da Segurança Social (Instrucoes_SSD_TI.pdf)

Alternativamente, pode optar por preencher e entregar o Mod. RV 1000/2014, quer através da Segurança Social Directa quer directamente nos postos de atendimento da Segurança Social.

Porquê subir de escalão?

Tal como os dependentes, também os trabalhadores independentes têm direito a diversos mecanismos de protecção social (e.g., subsídio de doença, parentalidade ou de velhice). As prestações a receber têm em conta as contribuições efectuadas, pelo que ao contribuir mais (subida de escalão) irá também garantir um maior valor quando necessitar dos referidos mecanismos.

Porquê descer de escalão?

Em sentido inverso, à descida de escalão correspondem também menores contribuições e logo menores prestações sociais a receber no futuro. O lado positivo da descida de escalão é que lhe permite ficar com mais dinheiro no bolso mensalmente, gerindo-o da forma que achar melhor.

Fonte:http://www.pedropais.com/

ALERTA | Pagamentos por conta | 31-07-2015

O que é o Pagamento por Contaimages.jpg

O Pagamento por Conta (PC) é uma entrega adiantada de imposto em sede IRC.

Como calcular o PC

Os pagamentos por conta são calculados com base no imposto liquidado por referência ao período de tributação imediatamente anterior àquele em que se devam efetuar esses pagamentos, líquido das retenções na fonte não suscetíveis de compensação ou reembolso nos termos da legislação aplicável, e devem ser repartidos em três montantes iguais com vencimento no 7º mês, no 9º mês e no dia 15 do 12º mês do respetivo período de tributação.

***************************************************************************************************************************************************************************************

Os pagamentos por conta dos contribuintes cujo volume de negócios do período de tributação imediatamente anterior àquele em que se devam efetuar esses pagamentos seja igual, ou inferior, a € 500.000 correspondem a 80% do montante do imposto referido no ponto anterior, repartido por três montantes iguais, arredondados, por excesso, para euros.

***************************************************************************************************************************************************************************************

 

Por seu turno, os pagamentos por conta dos contribuintes cujo volume de negócios do período de tributação imediatamente anterior àquele em que se devam efetuar esses pagamentos seja superior a € 500.000 correspondem a 95% do montante do imposto referido anteriormente, repartido por três montantes iguais, arredondados, por excesso, para euros.

 

 

Saiba se está isento do pagamento do IMI

A Reforma do IRS prevê uma atualização automática dos dados dos contribuintes que, assim, já não precisam de fazer prova dos seus rendimentos.

Tem um rendimento anual que se situa abaixo dos 15.295 euros e um imóvel cujo valor patrimonial é inferior a 66.500 euros? Então está isento do pagamento do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI).

A notícia é avançada pelo Diário Económico que explica que tal isenção resulta de alterações levadas a cabo com a Reforma do IRS. O Ministério das Finanças estima, numa nota enviada ao Económico, que sejam cerca de 350 mil os contribuintes abrangidos por esta isenção.

Até aqui quem beneficiava de isenção eram os contribuintes cujos rendimentos anuais alcançassem, no máximo, os 14.630 euros brutos.

Mas as novidades não se ficam por aqui. A isenção engloba, desde 1 de janeiro, os arrumos, despensas e garagens que estejam integrados no edifício ou conjunto habitacional e que sejam utilizados pelos proprietários como complemento habitacional.

Relativamente à prova de rendimento que comprova o direito à isenção, agora já não é necessário ser o contribuinte a fazê-la, pois será automática, uma vez que será feita “através de uma aplicação que cruza automaticamente a informação dos rendimentos dos agregados familiares da base de dados do IRS com as matrizes prediais”.

Na nota das Finanças lê-se ainda que a “Autoridade Tributária e Aduaneira irá identificar quais as famílias que beneficiam desta isenção e tudo será efetuado sem qualquer tipo de intervenção do contribuinte”.

Fonte:http://www.noticiasaominuto.com/economia/411310/saiba-se-esta-isento-do-pagamento-do-imi

APLICAÇÃO DAS POUPANÇAS EM CERTIFICADOS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Evolução-certificados-de-aforro-e-do-tesouro-Mai

Fonte: http://economiafinancas.com/

 

O gráfico demonstra o volume de poupanças aplicados em certificados de aforro e do tesouro pelo facto da descida das taxas de juros dos depósitos a prazo no mês de Janeiro. Nos meses seguintes verifica-se uma queda assentuada pelo anúncio das descidas das taxas de juro aplicadas aos certificados de aforro e do tesouro.

Onde aplicar as suas poupanças será a grande dúvida atualmente.

 

TEM COMPUTADOR? PODE MONTAR O SEU NEGÓCIO

Se está à procura de um negócio de baixo investimento a solução pode estar no seu computador pessoal. De acordo com a revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, existem alguns negócios que precisam apenas de um computador para operar e que podem ser a opção de empreendedores com elevadas competências tecnológicas e pouco dinheiro para investir.transferir.jpg

 

Professor de informática

Tornar-se num professor particular de informática pode ser uma boa opção, de acordo com a publicação. Ensinar pequenos truques e segredos a leigos pode ser uma boa forma de obter rendimentos e não precisa de ser um negócio com presença física. Criar uma plataforma na internet com ideias e soluções para alguns problemas comuns pode ser uma das formas.

Design e paginação

Se sabe paginar publicações, cartões de visita e panfletos ou até mesmo criar logos e outras ilustrações, poderá ter o seu próprio negócio com apenas um computador. Fazer alguns trabalhos freelancer pode ser o primeiro passo e se for bom a cumprir prazos e tiver boas competências ao nível da comunicação, certamente conseguirá angariar clientes.

Marketing digital

Trabalhar com social media e na produção de conteúdos para marcas é outra opção para quem quer começar sozinho e não tem capital para investir.

Webdesigner e programador

Hoje em dia, quase nenhuma empresa vive sem um site, mas ainda assim, são poucas as que têm meios para investir em grandes empresas do setor para criarem os seus sites. Para essas, a opção passa por especialistas freelancer ou por jovens em início de carreira.

Não fique preocupado por aqui encontra ajuda

images.jpg

 

LISBOA VAI RECEBER INVESTIDORES INTERESSADOS EM PME NACIONAIS

Lisboa vai receber nos próximos dias 25 e 26 de junho, no Centro de Congressos de Lisboa, um total de 150 importadores de mais de 30 países interessados em conhecer a oferta das Pequenas e Médias Empresas (PME) portuguesas.Portugal_Internationa_Business_Meeting.png

O "Portugal International Business Meeting" é promovido pela Associação Industrial Portuguesa (AIP) e tem como objetivo trazer ao país investidores para reuniões bilaterais (B2B) com os empresários portugueses, previamente agendadas e preparadas com o apoio de uma equipa de profissionais especializados.

Com a iniciativa, pretende-se “valorizar e dar a conhecer os produtos e serviços das empresas portuguesas aos potenciais compradores e investidores internacionais, de forma a incrementar a capacidade exportadora das empresas nacionais e diversificar os mercados.”

Durante dois dias, Lisboa receberá investidores oriundos dos países lusófonos, da Europa, Norte de África e África Subsariana, Ásia, Médio e Extremo Oriente, América do Norte e Latina.

O "Portugal Internacional Business Meeting" contará ainda com um showroom multissectorial de produtos e serviços das empresas portuguesas, para o qual são esperados mais de 200 expositores nacionais.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Stock-Off | Promoções

Links

ACASCA Enterprise

ACASCA Academia

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D